GUERRA SANTA – RECONHECIMENTO DE JERUSALÉM COMO A CAPITAL DE ISRAEL

Tempo de leitura: 1 minuto

Olá Questionadores

Nesta quarta-feira (6), o presidente norte-americano, Donald Trump, vai oficialmente reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, informou a Casa Branca. 

Para a comunidade Cristã, o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel é uma vitória, e também considerada uma profecia bíblica. Porém para a Palestina significa um pedido de guerra.

O principal representante da palestina no Reino Unido afirmou nesta quarta-feira (6) que os Estados Unidos reconhecerem Jerusalém como capital de Israel equivale a uma declaração de guerra contra os muçulmanos. A cidade internacional é considerada sagrada por judeus, mulçumanos e católicos.

“Se ele disser o que está pretendendo dizer sobre Jerusalém ser a capital de Israel, isso significa um beijo da morte para a solução de dois Estados”, disse Manuel Hassassian em uma entrevista de rádio da BBC. “Ele está declarando a guerra no Oriente Médio, ele está declarando guerra contra 1,5 bilhão de muçulmanos e centenas de milhões de cristãos que não vão aceitar os santuários sagrados estejam totalmente sob a hegemonia de Israel”, acrescentou, de acordo com a Reuters.

Face à polêmica, o governo de Israel se mantém em silêncio. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, fez um discurso de 21 minutos nesta quarta no qual se referiu aos estreitos laços do país com os Estados Unidos, mas não mencionou os planos americanos sobre Jerusalém.

Por outro lado, o Papa Francisco e a Organização das Nações Unidas (ONU) fizeram um apelo pelo diálogo sobre o status da cidade.

O feito histórico, bíblico e profético que marcou a religião cristã como nunca antes. A cidade de Jerusalém finalmente é considerada uma cidade indivisível e de posse da nação de Israel.

QUESTIONE-SE